08 novembro 2021

CACHEADAS DOMINANDO O MUNDO

| |

Oi meus seguidarlys, hoje eu venho falar sobre REPRESENTATIVIDADE, quando se tem cabelo duro, cabelo aramado, cabelo feio, crescemos com o peso nas costas de sempre querer ser aceita, bom vale lembrar que eu fui sim hostilizada e ouvi muito que meu cabelo não era certo, que eu tinha que controlar ele.

Foi um dos motivos para entrar na progressiva, por não me sentir bonita e nem aceitável no mercado de trabalho.

Depois que tive uma cacheada em casa e eu vi a necessidade de superar meus medos e enfim assumir meus cachos e o assunto de hoje, é como o mundo das ondas entrou em vários aspectos da nossa vida. 


Antigamente eu não lembro quando eu vi uma cacheada em um potão de creme, aliás acho que não tinha muito isso nos produtos, mas em comerciais de TV era sempre mais valorizado o cabelo liso e quase não tinha produtos que nos ajudasse a cuidar da nossa juba. 

Eu lembro que foi a seda que surgiu com a primeira linha para cacheadas, isso que eu lembro, e meu cabelo quando usava ficava horrível. 

Eu acredito que até para as marcas, era difícil entender um cabelo de rainha, e durou anos para chegar onde estamos hoje, que é um mundo de possibilidades no quesito produtos capilares. (não só para as cacheadas e crespas)


Agora vamos falar sobre o que eu sempre olhei e nunca me vi lá, que é as princesas da Disney. 

A princesa que mais chega perto da minha cor é Pocahontas, era a que tinha na época, e também tinha Esmeralda, que poucos falam sobre ela, uma cigana com cabelos ondulados, cheia de energia.

Bom e ficava nisso, o restante das princesas era branca com cabelos impecáveis, e não me via representada, e confesso que quando criança eu não sentia falta, de verdade, sabe porque? Porque eu já me achava errada, eu achava meu cabelo errado, eu via que as princesas, tinham cabelos lindos, lisos porque não poderia ter uma princesa com cabelos rebeldes. 


E olha eu acredito que mulheres hoje com a minha idade talvez olhe pra trás e não veja isso, mas o nascimento da Sophia me fez pensar e olhar o mundo de outro jeito, a Stefanny quando nasceu tinha cabelo ondulado, quase liso, então eu não vi esse choque comigo mesma. 

O nascimento da Sophia que ativou o modo LEOA eu quis proteger minha pequena, e veio em mim muitos gatilhos, e foi aí que a transição capilar entrou na minha vida.

E sempre eu elogio minha pequena, sempre coloquei o cabelo dela como a parte mais linda dela, e hoje ela ama o cabelo dela com volume, solto (é sério ela odeia prender, só fazendo tranças), e isso me deixa muito orgulhosa. 


A partir disso Stefanny assumiu os cachos e hoje é mais uma cacheada, e minhas meninas é o meu legado, não é só cabelo, é identidade, é aceitação, é tudo bem um dia elas querer alisar, mais eu fiz minha parte, fazendo elas amar e aceita seu cabelo, e se um dia chegar o dia de alisar, será porque ela quer, não porque ela se sente errada. 


E ainda sobre as princesas, hoje é claro temos muitas ai nos representando e mostrando que cabelo é uma escolha, é quem escolhe ser, não ache que eu não valorizo uma mulher que queira alisar os fios, eu acho .que toda escolha é válida e tem que ser respeitada, mas eu preciso falar do que acredito e do que fez bem pra mim, talvez a menina que alisa se sente como eu em relação ao alisamento do cabelo, então devemos buscar o melhor pra nós mesma, e respeitar acima de tudo as escolhas de outras pessoas.

Então esse é meu desabafo do fundo do meu coração, eu espero que cada dia mais eu possa me ver em outras pessoas, personagens, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário